Marketing de Bares e Restaurantes

Ações Criativas

Vender comida pela internet já é realidade

Marketing de Bares e RestaurantesOs restaurantes, bares e lanchonetes que vendem através de delivery (tele-entrega) tem mais um aliado para aumentar suas vendas, a internet. Há sites especializados na venda de comida pela internet onde os consumidores podem escolher o tipo de comida, o estabelecimento, visualizar fotos dos pratos e receber tudo quentinho em sua casa. Funciona como uma praça de alimentação virtual.

Este tipo de serviço também oferece várias outras comodidades tanto para os clientes quanto para os donos de restaurantes. O cliente, além de realizar o pedido com comodidade, desfruta de outros benefícios como, por exemplo, não ter estresse com telefones ocupados, visualizar as fotos dos pratos, não ter gasto com telefone e ainda visualizar os pedidos feitos anteriormente.

Para os Donos de Restaurantes o sistema proporciona um aumento considerável no faturamento, pois atrai uma nova gama de consumidores. Além disso o sistema oferece relatórios dos clientes e vendas realizadas.

Anúncios

5 de outubro de 2011 Posted by | Internet, Marketing, Marketing Offline, mobile, Restaurantes | , , | Deixe um comentário

O Cardápio é a Imagem do Restaurante

Marketing de Bares e Restaurantes

O cardápio tem função primordial em um restaurante – é um dos seus principais instrumentos de marketing. Veículo de informação, venda e publicidade, tem como finalidade auxiliar os clientes na escolha de alimentos e bebidas. Deve ser cuidadosamente planejado e elaborado, pois transmite a imagem do estabelecimento para o consumidor.

Antes do surgimento dos modernos restaurantes, as casas que forneciam refeições não usavam cardápios escritos. Os nomes dos pratos e preparações eram anunciados pelos atendentes, que guardavam essas informações na memória. Com o passar do tempo, alguns restaurantes em Paris sentiram a necessidade de informar seus frequentadores com mais eficiência e começaram a listar as preparações em quadros que ficavam pendurados na entrada dos recintos. Nesse processo, e com o aumento da oferta de pratos, os proprietários começaram a perceber que o atendimento e o serviço de mesa agregavam valor, na perspectiva do cliente. Passaram, então, a listar os pratos em tábuas menores, que ficavam dependuradas na cintura dos garçons, de cabeça para baixo, para a sua visualização, de forma a ajudá-los na orientação dos pedidos. Aos poucos, os clientes foram sentindo a necessidade de consultar essas tábuas e pediam aos garçons para vê-las, o que fez surgir os cardápios individuais de hoje.

A carta de comidas ou menu, como pode também ser denominado o cardápio, pela sua importância, requer cuidados no seu planejamento e elaboração. É o primeiro elemento a ser pensado quando da decisão de se abrir um local para venda de comidas e bebidas. Esses critérios estão relacionados tanto à sua forma física quanto ao seu conteúdo.

Alguns fatores determinantes devem ser considerados na composição de um cardápio: os prováveis consumidores, as preferências regionais, a localização, o espaço físico, o ambiente, o orçamento, o tipo de serviço, o número de refeições, o horário de atendimento, os equipamentos, utensílios e mão de obra. Um outro aspecto diz respeito ao equilíbrio na escolha das cores, formas, sabores, texturas dos ingredientes e temperos que irão compor os pratos a serem oferecidos, assim como o tipo de preparo, temperaturas, conhecimento das preparações e viabilidade das composições. A harmonia entre esses elementos diferencia um cardápio bem elaborado de outro que não chega a tanto.

A estrutura física do cardápio não é um ponto menos complexo. O formato das cartas e a sua apresentação, muitas vezes, podem ser aspectos de atração ou repulsa ao restaurante, normalmente, numa reação inconsciente do consumidor. Como um instrumento de informação, deve ser condizente com a proposta do restaurante e adequado ao tipo de consumidor alvo do negócio.

Muitos donos de restaurantes, no afã de ganharem mercado ou chamarem atenção dos clientes, deixam de tirar proveito de um cardápio adequado, eficiente, atrativo. Cardápios muito extensos, por exemplo, cansam e confundem o consumidor, além de exigirem um estoque maior, dificultando o trabalho do garçom e penalizando a qualidade do serviço, o controle de material e elevando os custos. Pratos listados com fontes (letras) muito pequenas em locais com pouca luminosidade ou para um público que pode ter limitações visuais, dificultam a venda e aborrecem o cliente. Incluir produtos que estão frequentemente em falta também constitui falta grave. Cardápios muito grandes (como aqueles que, para serem lidos, é preciso que a cadeira vizinha esteja vazia) dificultam o seu manuseio. Ainda existem aqueles com elementos gráficos, em excesso, ou com cores não contrastantes, difíceis de visualizar.

O cardápio é um instrumento de venda e, como tal, deve facilitar a vida do restaurante, do garçom e do cliente. Entretanto, alguns estabelecimentos ainda falham na sua concepção, não tirando proveito do grande potencial que tem.
* Lourdes Barbosa é professora de Teoria e Prática de Alimentos e coordenadora do curso de Hotelaria na UFPE.

Fonte: http://www.bemtemperado.com.br

5 de outubro de 2011 Posted by | Bares, Impressa, Marketing Offline, Midia, Restaurantes | , , , , , , | Deixe um comentário

Bavaria sem álcool – A cerveja que não te derruba

Marketing de Bares e Restaurantes

Depois daquela bebedeira do dia anterior, você acorda premiado de uma bela ressaca, não é mesmo?

Foi pensando nisso que a agência MarketData, de Curitiba, fez uma ação promocional em alguns bares da região para promover a cerveja sem álcool Bavaria. O principal objetivo era divulgar os benefícios da versão sem álcool, cujo principal deles é o de acordar no dia seguinte sem os famosos sintomas da ressaca.

Para isso, eles fizeram uma garrafa no estilo “joão-bobo”, enfatizando que mesmo bebendo, você permanece em pé. A campanha termina com a mensagem “Bavaria sem álcool, a cerveja que não te derruba”.

Veja no vídeo abaixo a reação das pessoas:

30 de setembro de 2011 Posted by | Bares, Marketing Offline | , , , | Deixe um comentário

Delivery Quente

Marketing de bares e Restaurantes

A Republic of Chicken é uma rede indiana especializada em pratos de frango e só operam por DELIVERY. E como vocês sabem, a carne de frango se depois de preparada, abaixa a temperatura, fica péssima. Frango frio é pior que qualquer carne fria. E por se tratar de uma emrpesa de delivery isso é um problema para a ROC. Contrataram então a McCann Erickson que criou esta solução genial. ALOU donos de pizzaria, ALOU quem faz delivery…

30 de setembro de 2011 Posted by | Marketing Offline, Restaurantes | , , , | Deixe um comentário