Marketing de Bares e Restaurantes

Ações Criativas

Outdoor solta cheiro de churrasco

Marketing de Bares e Restaurantes

(Foto - AP Photo/The Charlotte Observer/Reprodução USA Today)

Rede de restaurantes dos Estados Unidos cria propaganda inusitada na Carolina do Norte

Não é só a imagem de um belo pedaço de carne na Carolina do Norte, nos Estados Unidos, que tenta atrair a atenção dos motoristas. O outdoor libera um aroma do bife para conquistar novos consumidores.

De acordo com o periódico americano USA Today, a propaganda solta um cheiro de pimenta e carvão, que simula um grelhado ou um churrasco. A ideia é promover uma nova linha de carnes de uma rede de restaurantes americana.
A imagem mostra um garfo espetado em um pedaço suculento de carne.

Mas o segredo já foi revelado. Um fanático pelo prato fica embaixo do outdoor espalhando o aroma ao bombear o ar de cartuchos carregados com um óleo que contém a fragrância.
Um porta-voz da empresa disse que o outdoor libera o aroma entre as 7h e as 10h e entre as 16h e as 19h.

22 de novembro de 2011 Posted by | Impressa, Marketing, Midia, Restaurantes | , , , , , | Deixe um comentário

Havana Club distribui jogos Cubanos para bares.

Linha de jogos americanos criados para Havana Club, distribuido para bares em todo Brasil.

Marketing de Bares e Restaurantes

31 de outubro de 2011 Posted by | Bares, Design, Impressa, Midia | , , , | Deixe um comentário

Campanha: God Save the Beer!

Campanha apresentada para a cervejaria ASHBY. Com uma receita legitimamente inglesa, a campanha pedia um mote divertidamente britânico.

Marketing de Bares e Restaurantes

 

31 de outubro de 2011 Posted by | Bares, Impressa, Midia | , , , , | Deixe um comentário

Gastronomia – Paixão não se explica!

Paixão não se explica. Fantástico anuncio criado pela agencia curitibana, Getz Comunicaçãopara o o Restaurante Manu. 

Marketing de Bares e Restaurantes
Culinária que utiliza as técnicas revolucionárias da gastronomia moderna e ingredientes regionais como essência. O Restaurante Manu, em Curitiba-PR, não tem um menu fixo, e a cada dia surpreende com diferentes aromas e sabores inspirados por diversos lugares do mundo, uma mistura de arte, gosto e divertimento.

24 de outubro de 2011 Posted by | Impressa, Marketing, Midia, Restaurantes | , , , | Deixe um comentário

O Cardápio é a Imagem do Restaurante

Marketing de Bares e Restaurantes

O cardápio tem função primordial em um restaurante – é um dos seus principais instrumentos de marketing. Veículo de informação, venda e publicidade, tem como finalidade auxiliar os clientes na escolha de alimentos e bebidas. Deve ser cuidadosamente planejado e elaborado, pois transmite a imagem do estabelecimento para o consumidor.

Antes do surgimento dos modernos restaurantes, as casas que forneciam refeições não usavam cardápios escritos. Os nomes dos pratos e preparações eram anunciados pelos atendentes, que guardavam essas informações na memória. Com o passar do tempo, alguns restaurantes em Paris sentiram a necessidade de informar seus frequentadores com mais eficiência e começaram a listar as preparações em quadros que ficavam pendurados na entrada dos recintos. Nesse processo, e com o aumento da oferta de pratos, os proprietários começaram a perceber que o atendimento e o serviço de mesa agregavam valor, na perspectiva do cliente. Passaram, então, a listar os pratos em tábuas menores, que ficavam dependuradas na cintura dos garçons, de cabeça para baixo, para a sua visualização, de forma a ajudá-los na orientação dos pedidos. Aos poucos, os clientes foram sentindo a necessidade de consultar essas tábuas e pediam aos garçons para vê-las, o que fez surgir os cardápios individuais de hoje.

A carta de comidas ou menu, como pode também ser denominado o cardápio, pela sua importância, requer cuidados no seu planejamento e elaboração. É o primeiro elemento a ser pensado quando da decisão de se abrir um local para venda de comidas e bebidas. Esses critérios estão relacionados tanto à sua forma física quanto ao seu conteúdo.

Alguns fatores determinantes devem ser considerados na composição de um cardápio: os prováveis consumidores, as preferências regionais, a localização, o espaço físico, o ambiente, o orçamento, o tipo de serviço, o número de refeições, o horário de atendimento, os equipamentos, utensílios e mão de obra. Um outro aspecto diz respeito ao equilíbrio na escolha das cores, formas, sabores, texturas dos ingredientes e temperos que irão compor os pratos a serem oferecidos, assim como o tipo de preparo, temperaturas, conhecimento das preparações e viabilidade das composições. A harmonia entre esses elementos diferencia um cardápio bem elaborado de outro que não chega a tanto.

A estrutura física do cardápio não é um ponto menos complexo. O formato das cartas e a sua apresentação, muitas vezes, podem ser aspectos de atração ou repulsa ao restaurante, normalmente, numa reação inconsciente do consumidor. Como um instrumento de informação, deve ser condizente com a proposta do restaurante e adequado ao tipo de consumidor alvo do negócio.

Muitos donos de restaurantes, no afã de ganharem mercado ou chamarem atenção dos clientes, deixam de tirar proveito de um cardápio adequado, eficiente, atrativo. Cardápios muito extensos, por exemplo, cansam e confundem o consumidor, além de exigirem um estoque maior, dificultando o trabalho do garçom e penalizando a qualidade do serviço, o controle de material e elevando os custos. Pratos listados com fontes (letras) muito pequenas em locais com pouca luminosidade ou para um público que pode ter limitações visuais, dificultam a venda e aborrecem o cliente. Incluir produtos que estão frequentemente em falta também constitui falta grave. Cardápios muito grandes (como aqueles que, para serem lidos, é preciso que a cadeira vizinha esteja vazia) dificultam o seu manuseio. Ainda existem aqueles com elementos gráficos, em excesso, ou com cores não contrastantes, difíceis de visualizar.

O cardápio é um instrumento de venda e, como tal, deve facilitar a vida do restaurante, do garçom e do cliente. Entretanto, alguns estabelecimentos ainda falham na sua concepção, não tirando proveito do grande potencial que tem.
* Lourdes Barbosa é professora de Teoria e Prática de Alimentos e coordenadora do curso de Hotelaria na UFPE.

Fonte: http://www.bemtemperado.com.br

5 de outubro de 2011 Posted by | Bares, Impressa, Marketing Offline, Midia, Restaurantes | , , , , , , | Deixe um comentário